Você está ouvindo: Radio WEB Chamamé MS

Lucas Segovia

Lucas Segovia

Nasceu em Buenos Aires no dia 19 de novembro de 1976; músico, compositor, intérprete, iniciou sua carreira musical aos 18 anos.

Recebeu seu primeiro prêmio em 1996, na cidade de Resistência, no Chaco, com o tema "Walter René", ficando em primeiro lugar como solista vocal da ordem regional, e em segundo lugar, como autor e compositor.

Mudou-se para a cidade de Mar del Plata, em 1997, com o propósito de divulgar seu trabalho. Realizou em Miramar, Villa Gesell, Otamendi, Balcarce, Necochea, Piran, Batan, ciclos culturais com artistas locais. Participou da abertura do espetáculo de Rafael Amor, Baglietto e León Gieco, a convite da direção do Teatro Colón .

Gravou seu primeiro disco, em 1998, sob o título de “El universo de tu amor”, com a produção de Teresa Parodi.

Seu segundo disco foi gravado em 2000, sob o título de "Bem Simples", produzido pelo compositor Litto Nebbia.

Em maio de 2005, gravou seu terceiro disco “ao vivo”, no espaço do Teatro 73 sob o título de "Enchamigados", a convite da Secretaria de Cultura de La Rioja. Após esse trabalho, começou sua turnê por, Buenos Aires, Mar Del Plata, Misiones, Entre Ríos, Corrientes, Formosa, Córdoba, Resistencia e no interior do Chaco.

No mesmo ano de 2005, gravou seu quarto álbum, sob o título de "Piel de Margarita", trabalho que refletiu e fez referência ao perfil do cantor, que é engajado com as lutas populares e realidade social de sua província e do seu país. Nesse trabalho Zito Segovia faz uma homenagem a memória dos trinta mil desaparecidos e dos quinze mil prisioneiros do país, bem como, o massacre cometido em Margarita Belén del Chaco, em 1976,  contra os presos políticos. Participaram da gravação desse disco vários músicos de diferentes províncias, como: Víctor González, Raúl Alonso, Dickie Gómez, Antonio Tarrago Ross, Jorge Gastón Fiorio e Pavesi.

Em junho de 2007 seu trabalho, "Piel de Margarita", foi reconhecido e premiado pela SADE (Sociedad Argentina de Escritores), na cidade de Rosário, com o prêmio "Silver Menestrel". Esse trabalho teve que ser reeditado em 2008, sempre como uma produção independente.

Zito Segovia é líder do “Movimiento litoral”, evento que reúne ano a ano, músicos de todo o nordeste da Argentina, com o objetivo de conscientizar e convencer as províncias que as mesmas possuem problemas e realidades em comum. O movimento compartilha e fortalece as raízes étnicas de imigração, que se reflete na cultura, costumes arte e música.

Em 2008, a convite do Instituto de Cultura do Chaco, participa da obra épica "Cante Sua Canção Chaco", obra de resgate da província de Chaco. A obra reúne e coloca em cena 83 músicos entre sinfônicos e populares, que interpretam o poema de autoria de Martha Quiles, com trilha músical de Raul Cerrutti. Esta obra descreve a confluência dos gringos, crioulos, que originaram o desenvolvimento no início da província.

A partir disso, um dos temas da obra: "Chaco Tu Vencerás", se torna o hino da província, é gravado e distribuído para todas as escolas da província para ser interpretado, obrigatoriamente, em todos os eventos da escola.

Em 2009, gravou o seu quinto álbum, obra dedicada a refletir um fato histórico do Chaco, o “Massacre de Napalpí”, e "Melitona, os Crimes de Sangue", escrita por Carlos Aguirre e musicalizada por Lucas Segovia. No mesmo ano, participa pela primeira vez do Festival de Cosquín e posteriormente de outros festivais por toda a Argentina.

Lucas Segovia é artista exclusivo da “Entidade de Cultura da Argentina”. Entidade que apóia o músico e mantém um projeto que realiza eventos por todo o país, o "Café Cultura Nation". O projeto da ênfase, as discussões sobre a identidade e o desenvolvimento do artista na sociedade, como um gesto de reconhecimento da sua função social e cultural.

Seu sexto disco foi dedicado ao bicentenário do país; sob o título de “Acontece Que Nós Vivemos”. Neste albúm, Segovia grava com a participação de vários músicos de renome da múscica chamamezeira, como Motta Luna, Arias Bruno, Antonio TarragoRoss, Jorge Fiorio , Alejandro e Tula Love Rafael.
Apresentado este trabalho no Festival Nacional de Chamamé de 2011, (Corrientes) e Cosquín 2011, (Córdoba).

 

Galeria de Imagens

Galeria de Vídeos

Comentários