Você está ouvindo: Radio WEB Chamamé MS

Hemínio Gimenez

Hemínio Gimenez

Hermínio Gimenez nasceu no Paraguai na cidade de Caballero, em 20 de fevereiro de 1905.

Sua vocação para a música começou a surgir com apenas 11 anos de idade, quando seu tio Manuel Gimenez que era músico da Banda de Paraguarí o convidou e o levou para integrar o Grupo Instrumental. Sua primeira execução foi “El Bombardino”.

Em seguida Hermínio Gimenez começou a tocar na Banda da Polícia da Capital paraguaia, onde aprimorou seus conhecimentos de teoria e solfejo e deu seus primeiros passos para o aprendizado do violão.

Logo, Hermínio Gimenez seguiu carreira solo e juntamente com Justo Ortega, membro da corte suprema de justiça formou o “Duo Pucheta & Gimenez”, juntos foram pioneiros a gravar música popular paraguaia.

Em 1918, criou sua primeira canção, a famosa polca paraguaia Moroti Jasy..

Em 1927, fez parte da Orquestra de Dr. Atílio Valentino. Orquestra essa, contratada pela “Viladesau de Assunção” (local de ponto de encontro dos músicos paraguaios e comercio instrumentos musicais importados), gravaram um álbum inteiramente dedicado à música paraguaia, sob o título de "Guarani".

A beleza das  composições de Hermínio Gimenez o tornou um dos melhores compositores latino-americanos.

Durante o Guerra do Chaco foi designado diretor da Banda Militar de Assunçao e com o fim da guerra recebeu vários prêmios e homenagens do governo paraguaio.

No governo do ditador Alfredo Stroessner, por razões políticas, Hermínio Gimenez foi forçado a ir para o  exílio na  Argentina, mas propriamente em Corrientes onde passou boa parte de sua vida no exílio.

Durante a guerra contra a Bolívia criou a orquestra Comanchaco, que ajudou a entusiasmar as tropas durante as batalhas. Hermínio Gimenez se apresentou no Brasil, Uruguai, Polônia e União Soviética.

Com o passar dos anos, mudou-se para Buenos Aires e lá aprendeu a tocar Bandoneón, instrumento com o qual compôs a maior parte de suas obras musicais, também aperfeiçoou seus conhecimentos no  trombone e violão.

Em 1926 criou e dirigiu o “Coral da Cidade de Corrientes” e também sua primeira orquestra, a famosa “Orquestra Sinfonia de Corrientes”.

O maestro também morou em Campo Grande, onde criou e dirigiu o “Conjunto Ponta Porã”, que deixou saudades. Gravou vários álbuns com grandes clássicos a música paraguaia e do chamamé correntino. Em seu álbum “Amor mato-grossense”, uma particularidade na música que tem o título do CD, a polca “Amor Mato-grossense” de autoria de Ygnácio Melgarejo, curiosamente no Paraguai, esta música  tem outro nome, lá é conhecida como “Chini”. O povo do estado de Mato grosso do Sul, especialmente os campo-grandenses devem muito a esse fantástico e iluminado maestro Hermínio Gimenez. Ainda em Campo Grande, foi um grande incentivador da dupla Jandira & Benitez e da dupla Aral Cardoso e Laura (pais de Aral Cardoso). Deixando aqui um grande legado e boas recordações.

Criou também o Conjunto Victória e com ele gravou suas composições como: Cerro Corá, letra de Félix Fernandez e sua Missa Folclórica Paraguaia. Outras composições de grande destaque são: Alto Paraná, (música conhecida mundialmente), Che Trompo Arazá, Choli, Lejania e sua polca Cerro Porteño e ainda sua guarânia sinfônica “El Canto de Mi Selva”.

Compôs também “Canción Del Harpa Dormida” em homenagem a Félix Perez Cardozo, com letra de Atahualpa Yupanqui,

Em 1989, com o fim da ditadura no Paraguai e com a queda de Stroessner, Hermínio Gimenez retornou definitivamente para Assunção, sua terra natal e conseguiu concretizar seu grande sonho que era dirigir a “Orquestra Sinfonia de Assunción”.

Em 05 de junho de 1991 Hermínio Gimenez faleceu na cidade de Assunção, deixando grande legado para a música paraguaia e latina americana.

Obras de Hermínio Gimenez

As composições de Gimenez foram muito variadas e incluem diferentes gêneros como Danza Paraguaia, Guarânia, Vals, entre outras. Algumas de suas obras mais importantes são: Añorando a Mato Grosso, Al Papa Wojtyla, Ruperto Bravo, Feliz Cuarto Centenario, Corrientes, Sapukái en Las Malvinas, Corasô rasy, Panchita Garmendia, Ha che tren, Che valle Pirajumi y Campesina Paraguaya

Referencias

1.ABC Digital (21-2-06). «Dirección de Cultura rinde homenaje a Herminio Giménez». Consultado el 20-2-10.

2.Sitio web oficial del club Cerro Porteño. «Estreno de legendaria polca de Cerro Porteño». Consultado el 20-2-10.

El mundo sonoro de Herminio Giménez en Sitio web oficial de Luis Szarán.

Colaboração Cristobal Urbieta

Galeria de Imagens

Galeria de Vídeos

Comentários